MATO GROSSO

Petrobrás fará compra de aproximadamente R$ 650 milhões em biodiesel
Cerca de 20% de todo óleo misturado ao diesel vai sair de Mato Grosso
MATO GROSSO07/11/2019 09h16 Fonte: GC Noticias






O Estado conhecido como o celeiro do Brasil passa a ser um importante fornecedor da empresa nacional que detém o monopólio dos combustíveis fósseis. As esmagadoras estabelecidas em Mato Grosso serão responsáveis por 20% do total de biodiesel adquirido pela Petrobrás. A empresa estatal que detém 99% do mercado de diesel no país começa a adquirir o óleo renovável para misturar ao combustível fóssil.

O aditivo mínimo de 11% de biodiesel ao diesel comercializado no país, estipulado pela ANP (Agência Nacional do Petróleo), passou a ser obrigatório desde o dia 1º de novembro de 2019. Para comprar o “óleo verde” promoveu um leilão público (006/2019), afim de homologar as usinas de biodiesel que fornecerão para Petrobrás. Mais de 1 bilhão de litros foram negociados no certame. Desse total, 216 milhões de litros vão sair de usinas instaladas em Mato Grosso.

São 11 empresas no estado que juntas comercializarão 653,5 milhões em biodiesel – apenas através deste leilão. A maior fornecedora homologada foi a ADM de Rondonópolis, com 63 milhões de litros, orçados em R$ 189 milhões. Os chineses da Cofco, também de Rondonópolis, vem sem segundo lugar, com 51 milhões de litros e quase R$ 159 milhões.

Na região Norte do Estado, 3 usinas foram homologadas para biodiesel à Petrobrás. A Bunge, de Nova Mutum, abastecerá a empresa nacional com 27 milhões de litros de óleo, gerando um contrato de R$ 81,4. A indústria da Caramuru, em Sorriso, fornecerá 13,1 milhões de litros, negociados a R$ 39,4 milhões. Fechando a lista do Norte de Mato Grosso tem a Friagril, de Lucas do Rio Verde, homologada para fornecer 13,7 milhões de litros de biodiesel à R$ 41,8 milhões.

O preço médio do metro cúbico do biodiesel – o que equivale a mil litros – variou de R$ 2,6 mil a R$ 3,3 mil, mesmo dentro do Estado. A oscilação é resultado do leilão de preços, mas também dos diferentes valores estipulados pelo certame, que levam em conta a logística e o preço do frete.

Todo combustível arrematado deve ser entregue até o dia 31 de dezembro de 2019, às distribuidoras de biodiesel da Petrobrás, ou credenciadas.




COMENTÁRIOS




VEJA TAMBÉM



MATO GROSSO  |  13/11/2019 - 09h